sábado, 3 de junho de 2017

Participação em Congresso na UNIVATES

Durante os dias 24, 25, 26 e 27 de Maio, ocorreu na UNIVATES em Lajeado, o II Congresso Internacional de Ensino e Aprendizagem, VI Seminário Institucional do PIBID UNIVATES, III Seminário Observatório de Educação UNIVATES. E a UNICNEC estava representada por seus alunos. 
O evento contou com a presença da presidente e do coordenador do FORPIBID Alessandra Assis  da UFBA e Nilson Cardoso da UFCE, que abordaram a questão da democracia e sua relação com a educação. Em suas falas foi possível perceber a importância da luta por um projeto de política de esquerda, que considere todos os seres humanos iguais em direitos e deveres, com a oferta de uma educação digna, que valorize a formação docente continuada e de qualidade. Pois, o momento é de crise nas esferas social e política e também na formação docente e discente. A escola precisa ser vista como um espaço de ação e aprendizagem da democracia. 
O evento contou ainda com oficinas, rodas de conversas, mesas redondas e comunicações científicas, num ambiente convidativo ao aprender. Eu tive a oportunidade de apresentar uma comunicação científica intitulada "Contribuições da contação de histórias no processo de aquisição da leitura e da escrita", orientado pela professora Anilda Souza. Muito gratificante apresentar um fruto do meu trabalho como bolsista PIBID.
O que ficou marcado e martelando nas cabeças de muitas pessoas foi que a inovação, não significa novidade, mas avanços e novos olhares para o que já existe. E no que diz respeito a inclusão o que é importante é que se contemple a diferença sem preparar para a identidade, para que não se cai na inclusão excludente. Muitas ideias, falas e práticas interessantes para serem agregadas a nossa bagagem. Pois a nossa formação é constante e além de ensinarmos, nunca deixamos de aprender. "No hay viento favorable ara um barco que va a la deriva."(Santos Guerra, 2000,p.12).


Referência

SANTOS GUERRA, Miguel. A escola que aprende. Ed. Morata. Madrid. 2000.

sábado, 6 de maio de 2017

Pensadores e a educação

A educação sofre influências e se baseia em pressupostos teóricos de autores importantes no âmbito mundial. Cada autor tem sua visão da educação em relação a época e contexto de sua história. No que diz respeito ao pensamento de Karl Marx(1818-1883), que enxerga a sociedade pela ótica do materialismo histórico dialético, através do conflito de classes entre oprimido e opressor, a educação é a perpetuação da dominação de uma classe sobre a outra, mas também tem papel fundamental na emancipação do ser humano. Max Weber(1864-1922) analisa a sociedade, que para ele é uma espécie de teatro social, através do método interpretativo e a educação consiste num pacote de conteúdos para o treinamento dos indivíduos, logo, é o modo pelo qual estes são preparados para exercer as funções, que a transformação causada pela racionalização da vida lhes dispôs. Émile Durkheim (1858-1917) vê a sociedade através do modelo estrutural funcionalista, acredita que a sociedade é um organismo e os interesses coletivos imperam sobre os individuais. A educação é a ação que os adultos exercem sobre as crianças e inicia na família, mas é sistematizada na escola, onde os alunos são instruídos e adquirem saberes. 
Percebemos hoje que nosso modelo de educação tem raízes em autores importantes, que analisaram a sociedade e criaram modelos teóricos, para o momento histórico que viveram e que se perpetua até os dias atuais. Além destes, existem outros teóricos importantes. A educação consiste numa mescla de ideias e conceitos que se transforma conforme caminha a sociedade. 

Referência

RODRIGUES, Albeno Tosi. Sociologia da Educação. Rio dJaneiro: DP&A, 2004. 

sábado, 1 de abril de 2017

Piaget e suas contribuições para aprendizagem

Piaget é conhecido e citado pelos quatro períodos do desenvolvimento cognitivo, que são :
*Período sensório-motor- Do nascimento aos 2 anos de idade; A criança é o centro e tudo gira em função dela.
*Período pré-operacional: Dos 2 aos 6/7 anos; Usa a linguagem e os símbolos para explicar as coisas de acordo com as suas experiências.
*Período operacional concreto: Dos /8 anos até os 11/12; Diminui e descentraliza o egocentrismo, pois essa fase coincide com a idade escolar;Mas ainda não possui o pensamento abstrato;
* Período operacional formal: Dos 11/12 anos até a idade adulta; A criança adquire o raciocínio lógico , consegue criar conceitos, e explica problemas através do pensamento abstrato.
Porém o núcleo duro da teoria de Piaget são os conceitos assimilação, acomodação e equilibração.
Assimilação: é um processo externo, da experiência para a mente. Quando a criança tem novas experiências e tenta adaptar esses novos estímulos as estruturas cognitivas que já possui.
Acomodação: é um processo interno, da mente para a experiência. Quando a criança não consegue acomodar um novo estímulo, pois não tem uma estrutura para isso, cria um novo esquema ou modifica um existente. 
Equilibração: Estado de equilíbrio, resultado dos processos de assimilação e acomodação. 
Para Piaget só há aprendizagem quando um esquema de assimilação sofre acomodação. Ensinar significa provocar o desequilíbrio na mente da criança, para que ela procure o reequilíbrio, se reestruture cognitivamente e aprenda. 
Sempre lembrando que essa provocação deve estar de acordo com o nível de desenvolvimento mental de cada criança, pois o ensino envolve três aspectos: os esquemas de assimilação do aluno, aqueles que se quer ensinar e os do professor, é necessário o equilíbrio entre os três. 

Referências:

MOREIRA, Marco Antônio. Teorias de Aprendizagem. São paulo: E.P.U., 2015.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Professor...


As aulas se iniciam, um novo ciclo recomeça... Tempo de ensinar, mas também de aprender sempre...
 
" Professor tem de gostar de gente. Tem de saber que as pessoas estão em construção, em permanente evolução, que são falhas. Tem de se saber falho, também, e perseguir um modo melhor de viver e conviver. " (CHALITA, p.69)

CHALITA, Gabriel. Semeadores de Esperança:Uma reflexão sobre a importância do professor. São Paulo: Cortez, 2014.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Primeira postagem do ano...

O ano esta iniciando... Certa de que muitas coisas boas estão por vir, me inspiro no poema de Eduardo Galeano, para continuar em busca de meus sonhos!!!


" A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar."

Eduardo Galeano




terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Vale a Leitura!!!!!

Leitura leve e inspiradora! 📚☀️😉❤️
" ...O brilho de ser professor é a nossa relevância. Não existe sociedade sem aulas. Não é possível fazer nada no mundo sem professores. Todos os médicos, engenheiros, políticos, operários especializados foram, por alguns ou muitos anos, alunos. Todos tiveram professores. É um exército invisível. Vemos as obras prontas: o paciente curado, a máquina construída, o texto escrito e esquecemos que atrás de cada autor há um professor. Somos a malha invisível que dá coesão social."